21 de mai de 2015

Resenha: Christine

Christine
Autor: Stephen King
Editora: Objetiva
Ano: 1998
Número de páginas: 321
Gênero: Horror
Onde comprar (edição 2013): Americanas | Submarino | Saraiva

O livro que escolhi para conhecer a escrita de Stephen King me traz uma nostalgia muito grande, lembro de assistir com minha mãe quando ainda era criança a adaptação para o cinema de 1983 "Christine, O Carro Assassino" nas tardes do Cinema em Casa. Sempre gostei muito de filmes de terror e ler os livros do King sempre foi um objetivo para mim e nada melhor do que começar com um dos seus clássicos: Christine.

Arnie Cunnigham é um adolescente que mora em um pacato subúrbio de classe média, na escola é alvo de gozações devido a sua aparência, um rosto coberto de espinhas e corpo magro demais para esportes. Possui um amigo de infância que é totalmente o oposto dele, Dennis é atleta, joga no time de futebol da escola e é o típico estudante "popular". Mas tudo começa a mudar com a chegada de Christine.

Em um dia normal durante as férias escolares de verão ArnieChristine pela primeira vez, ela está estacionada no pátio da casa do velho Roland D. Lebay com um anúncio de "À VENDA". Arnie se apaixona à primeira vista pela lata velha e de imediato resolve comprá-la, Dennis que o acompanha acha tudo uma péssima ideia, mas nada no mundo poderia convencer Arnie do contrário, o feitiço já havia sido lançado.

Regina Cunnigham acostumada a controlar tudo na vida do filho começa a viver um inferno na Terra com a decisão de Arnie, o proibindo de levar o carro para casa devido a seu estado, faz com que ele alugue um box na garagem "faça-você-mesmo" de Will Darnell. Essa é apenas a primeira consequência na vida dos que cercam Arnie, nada mais será igual, nem mesmo a aparência do adolescente que todos consideravam um "perdedor".

Enquanto Arnie reforma o carro, sua aparência e personalidade também começam a mudar, as espinhas somem e é o suficiente para chamar a atenção da aluna nova da escola. Leigh Cabot se apaixona por ele, mas não imagina que possui uma grande rival, Christine. Dennis secretamente se sente atraído pela namorada do amigo e um segundo triângulo amoroso é formado.

Tudo começa a ficar pior quando o antigo dono de Christine morre, é com esse acontecimento que embarcamos no mundo amaldiçoado do Plymouth Fury 1958. Um passado sombrio envolvendo o carro é revelado com as investigações de Dennis que já desconfia que algo terrível paira sobre seu amigo. O livro é dividido em três partes, a primeira e última são narradas em primeira pessoa por Dennis. Mas apenas depois de 50% da leitura que o carro realmente começa a fazer vítimas e cria vida própria, o que achei um pouco demorado, pois não consegui de fato "devorar" o livro, que possui 321 páginas com pouco espaçamento entre as linhas.

Algo que gostei muito foi cada capítulo iniciar com um trecho de alguma música de rock, assim como Christine que só sintoniza a WDIL. São detalhes assim que tornam a obra de Stephen King tão rica e de qualidade incontestável. Também há o cuidado com cada personagem, fazendo o leitor conhecer o psicológico de cada um. É tudo muito real tratando-se das relações humanas, fugindo de muito clichês literários. Uma leitura que recomendo, principalmente se você é um fã do gênero.

"Seu egoístico objetivo.
Sua fúria interminável"

Minha Classificação:

Um comentário:

  1. Adorei a sua resenha, fiquei mais instigada ainda a ler o livro, o filme também assisti a muito tempo, quando era criança ainda, me lembro que adorava assistir com a minha mãe! :)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo